ESTÍMULO NEUROLÓGICO PRECOCE

Efeitos benéficos podem ser alcançados por meio de estímulos neurológicos precoces. Nós do Canil Cor Salit adotamos esse trabalho para todas as ninhadas nascidas aqui*.

 

Por mais surpreendente que possa parecer, não é a capacidade que explica as diferenças que existem entre os indivíduos, porque a maioria parece possuir muito mais capacidade do que um dia irá usar. As diferenças que existem entre eles parece estar relacionada a alguma outra coisa. Os que conseguem se destacar possuem a capacidade de usar algo oculto. Em outras palavras: é o que eles são capazes de fazer com o que tem que faz a diferença, e não o que eles tem.

 

Em muitos programas de melhoramento genético de animais todo o processo de seleção e manejo baseiam-se na ideia de que o desempenho é hereditário. Apenas nas ultimas décadas que as estimativas de habilidades de performance foram baseadas em dados adequados. Cunningham (1991) em seu estudo sobre cavalos, constatou que apenas usando dados de grupos de meio irmãos e meias irmãs, poderiam ser obtidas boas estimativas de performance.

Suas pesquisas indicam que apenas 35% da performance de velocidade são herdadas, ou seja, apenas cerca de 35% de toda a variação que é observada em performances são controladas por fatores hereditários, os 65% restantes são atribuídos a outras influencias, tais como treinamento, manejo e nutrição. O estudo de Cunningham fornece uma boa base sobre quanto os criadores podem atribuir a genética e ao pedigree.

 

Os pesquisadores tem estudado esse fenômeno e tem procurado novas formas de estimular os indivíduos a fim de melhorar suas capacidades naturais. Alguns dos métodos descobertos tem produzido efeitos duradouros. Hoje, muitas das diferenças individuais podem ser explicadas pelo uso de estímulos neurológicos precoces.

INTRODUÇÃO

O homem tem tenteado vários métodos para melhorar os desempenhos. Alguns dos métodos tem resistido ao tempo, outros não. Sabemos agora que o início da vida é um momento em que a imaturidade física do organismo é suscetível e sensível a uma restrita, mas importante, classe de estímulos.

 

Filhotes recém-nascidos são excepcionalmente diferentes dos adultos em vários aspectos. Quando nascem seus olhos estão fechados e o sistema digestivo tem uma capacidade limitada, requerendo periódicos estímulos feitos pela mãe, a fim de promover sua digestão. Nessa idade eles só são capazes de cheirar, sugar e rastejar. A temperatura corporal é mantida pelo contato próximo com a mãe ou com os irmãos.

Durante essas primeiras semanas de “imobilidade”, os pesquisadores notaram que os caninos imaturos e sub-desenvolvidos são sensíveis a uma série restrita de estímulos, que incluem a estimulação térmica e tátil, movimento e locomoção. Estudos mostram que retirando os filhotes do “ninho” por três minutos por dia entre o quinto e o decimo dia de vida faz com que a temperatura caia abaixo do normal. Essa forma leve de estresse é suficiente para estimular os sistemas hormonais, supra-renais e pituitária. Quando testados depois de adultos, esses mesmo animais eram capazes de suportar estresses maiores do que os irmãos de ninhada que não foram expostos aos mesmo estímulos precoces. Os com estímulos suportavam o estresse de forma graduada enquanto os sem estímulos respondiam de forma “tudo ou nada”. Em testes para diferenças na saúde e na doenças, os animais estimulados se mostraram mais resistentes a certas formas de câncer e doenças infecciosas.

 

Outros estudos de estimulação neurológica precoce tem sido testados com sucesso em cães e gatos. Nesses estudos foi mostrado que esses filhotes amadureceram mais rapidamente e com melhores desempenhos em determinados testes. Os resultados mostram que a estimulação pode ter resultados positivos, mas devem ser usados com cautela. Muito estresse pode causar adversidades patológicas em vez de superioridade psicológica e física.

MÉTODOS DE ESTIMULAÇÃO

O exército dos Estados Unidos, em seu programa canino, desenvolveu um método que ainda serve de guia. Em um esforço para o melhoramento de cães utilizados por eles, foi criado um programa chamado “Bio Sensor” que mais tarde ficou conhecido pelo público como “Super Dog”. Baseado em anos de pesquisas, os militares aprenderam que os primeiros exercícios de estimulação neurológica precoce podem ter efeitos importantes e duradouros. Seus estudos confirmaram que existem períodos específicos no início da vida onde os estímulos tem os melhores resultados. O primeiro período começa no terceiro dia de vida e vai até o decimo sexto, isto porque esse intervalo de tempo é de rápido crescimento e desenvolvimento neurológico e , portanto, de grande importância para o individuo.

 

A fim de dar aos seus cães vantagem, os militares desenvolveram uma série de cinco exercícios projetados para simular estímulos neurológicos precoces. Cada sessão de exercício deveria ser feita uma vez por dia. Na ordem de preferência do “manipulador” são iniciados os exercícios, completando toda a série antes do próximo filhote.

Os exercícios são os seguintes:

1 – Estimulação tátil

 

Segurando o filhote em uma das mãos, o manipulador deve estimular suavemente (cocegas) o filhote entre os dedos de um dos pés, usando um cotonete. Não é necessário o filhote demonstrar que está sentindo cócegas. Tempo de simulação: 3 – 5 segundos.

 

2 – Cabeça erguida para cima, corpo erétil

 

Usando as duas mãos, o filhote é mantido de forma perpendicular ao chão, para cima, de modo que a cabeça fique diretamente em cima da cauda. Essa é uma simulação para cima. Tempo de estimulação: 3 – 5 segundos.

3 – Cabeça apontada para baixo, ponta-cabeça

 

Segurando o filhote firmemente com as duas mãos, a cabeça é virada para baixo, de modo que fique apontada para o chão. Tempo de estimulação: 3 – 5 segundos.

 

4 – Posição supina

 

Segure o filhote de forma que as costas dele fique apoiada nas duas mãos, com o focinho voltado para o teto. É permitido que o filhote “lute” ou durma. Tempo de estimulação: 3 – 5 segundos.

 

5 – Simulação térmica

 

Use uma toalha úmida previamente gelada no freezer por 5 minutos (pode ser utilizada uma bolsa térmica fria). Coloque o filhote na toalha, com os pés para baixo. Não restringir a movimentação. Tempo de estimulação: 3 – 5 segundos.

Esses cinco exercícios produzirão estímulos neurológicos, um dos quais ocorrem naturalmente durante esse período inicial da vida. Experiencias mostram que alguns filhotes irão resistir aos exercícios e outros irão parecer despreocupados. Em ambos o caso é preciso utilizar a cautela, NÃO REPETIR MAIS DE UMA VEZ POR DIA e não passar do limite de tempo recomentado por exercício, pois muito estresse pode ter o efeito contrário do que esperamos.

 

Os exercícios afetam o sistema neurológico colocando-o em ação mais cedo do que usualmente. O resultado é o aumento da capacidade, que mais tarde irá ajudar a fazer diferença em sua performance. Aqueles que brincam com os suas ninhadas e rotineiramente lidam com elas devem continuar a fazer, porque os exercícios neurológicos não substituem o manejo rotineiro, as brincadeiras, a socialização ou união.

BENEFÍCIOS DA ESTIMULAÇÃO

Doutor Battaglia ainda enumera cinco benefícios tem sido observados em cães que foram expostos aos exercícios de simulação do “Bio Sensor”.

 

Os benefícios notados são:

1 – Melhor desempenho cardio-vascular (frequência cardíaca)

2 – Batimentos cardíacos mais fortes

3 – Glândulas supra-renais mais fortes

4 – Mais tolerância ao estresse

5 – Maior resistência à doenças

Em testes de aprendizagem, os filhotes estimulados foram considerados mais ativos e eram mais exploratórios do que seus irmãos de ninhada que não foram estimulados. O primeiro grupo se mostrou superior em situações competitivas.

 

Efeitos secundários também foram observados em relação ao desempenho no teste. Na resolução de problemas simples usando desvios em um labirinto, os filhotes não estimulados ficaram extremamente exitados, choramingou muito e cometeu muitos erros. Seus irmãos de ninhada que foram estimulados se mostraram menos pertubados ou chateados com as condições do teste e quando foram feitas comparações, os filhotes estimulados se mostraram mais calmos no ambiente do teste, fizeram menos erros e não chorou tanto.

 

Texto baseado no Artigo de Dr. Carmen L. Battaglia

Para ler o artigo completo, clique aqui

* Exercícios adotados a partir da ninhada C e realizados em todas as futuras ninhadas nascidas no Canil Cor Salit (com exeção de algumas co-propriedades).

© 2013 - 2020 by ANA MORATO. All rights reserved.

Todas as fotos do site são de cães de nossa propriedade/criação/coberturas.

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • White YouTube Icon
  • Branco Ícone Google+